quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Produto Ampliado – Os atributos que (fazem?) a diferença.


Para competir no mercado atual, onde a concorrência pelos consumidores é cada dia mais intensa, as empresas mencionam em suas campanhas publicitárias que devemos comprar os seus produtos, ao invés dos concorrentes porque possuem algo a mais nesta briga pela percepção dos consumidores, uma pequena diferença para que optem por seus produtos. Estas diferenciações denominamos, em termos mercadológicos, de Produto Ampliado, um estágio superior ao Produto Básico que já mencionamos.
No Produto Básico, as empresas se concentram apenas no objetivo principal para a satisfação das necessidades e desejos dos consumidores, normalmente em seu estágio de introdução no ciclo de vida do produto. No Ampliado, quando o produto se encontra em uma fase de crescimento, onde o mercado conhece o produto e, naturalmente, a concorrência aumenta, é o momento de concentrar-se nos atributos diferenciadores, com o intuito de proteger o mercado atual e angariar novos consumidores que na fase anterior ainda não consumiam o produto.
Apesar deste processo ser o lógico no ciclo de vida do produto, alguns cuidados devem ser tomados com esta ânsia dos adicionais. As estratégias devem ser feitas de forma criteriosa, com uma pesquisa junto aos consumidores e uma análise sistematizada do mercado, dos concorrentes e do ambiente externo.
Muitas organizações oferecem tantos adicionais que acabam por confundir os consumidores. Veja o caso dos aparelhos de celular. A oferta de novos dispositivos tecnológicos e aparelhos são tantas, que para o consumidor comum (excluindo-se os jovens e os aficcionados por tecnologia) o trabalho para a aquisição de um novo aparelho é tão complexo que se torna necessário um curso preparatório antes de ir ás compras.
E pior ainda, os adicionais, em muitas situações, não são aqueles em que o consumidor esta interessado ou não o utilizará em seu dia-a-dia. Na Coréia do Sul são tantos adicionais oferecidos em um único celular, entre eles bafômetro, Karaokê, GPS, sistema de segurança, isso sem contar aqueles que já temos disponíveis no mercado brasileiro e que a maioria das pessoas já conhecem. Mas, será que os consumidores usarão todos estas ferramentas? É provável que a grande maioria não as utilize nenhuma vez durante o período de vida do aparelho.
E o mais comum, leia-se pior de todos. As empresas se concentram tanto nos adicionais e na ampliação da linha do produto e esquecem de tratar adequadamente os seus consumidores. Veja os canais de TV à cabo. São centenas de canais disponíveis,inúmeros serviços de interatividade mas, e o atendimento ao consumidor? Ainda continuam líderes de reclamação nos órgão de defesa do consumidor.
O Produto Ampliado é uma peça fundamental em seu processo de administração mercadológica, mas não se esqueça, de antes de pensar nos adicionais, estudar adequadamente o mercado, os concorrentes e os consumidores (será que eles realmente desejam os serviços adicionais oferecidos por sua organização?) para, somente depois, começar a sua oferta diferenciadora e, não esqueça de oferecê-las em doses homeopáticas para não gastar toda a sua estratégia em uma única jogada de marketing.

Translate