domingo, 8 de julho de 2012

O Marketing Viral dos Fones da marca Dr. Dre


O fato de algumas empresas conseguirem se destacar no mercado, manter um crescimento acima de seus concorrentes e criar novos mercados em ambientes saturados, não é novidade para ninguém. Todos nos conhecemos alguma empresa que conseguiram este intento. O nosso desafio é aprender com estas empresas e tentar replicar o modelo de sucesso. Pensando desta forma, vou descrever o caso da marca de fones Beats by Dr. Dre publicado na revista Exame, vincular o caso com os conceitos de marketing, mais precisamente o marketing viral,  para entendermos este modelo de inovação.
Primeiramente eles romperam com os padrões da indústria de fones de ouvido – um dos pontos fundamentais para gerar um boca a boca espontâneo, o nosso marketing viral. Enquanto os concorrentes possuíam modelos discretos, afinal é apenas um acessório, eles contrataram um ex-diretor de design da Apple e o resultado foi um fone grande, colorido e espalhafatoso. Isso foi fundamental para gerar um burburinho em torno do produto (um dos preceitos do marketing viral), pois, a medida que as pessoas viam o produto na rua, queriam saber do que se tratava, ainda mais se o produto fosse visto em celebridades como descreveremos à seguir.
Uma equipe de engenheiros gastou 15 meses para produzir um aparelho que pudesse reproduzir com perfeição as musicas. Este é um ponto fundamental. Um produto para fazer sucesso tem que ter qualidade superior. Se a qualidade for mediana, dificilmente teremos um boca a boca favorável.
Como sabemos apenas a criação de um produto que pode ser visualizado a distância pelo seu formato, não é suficiente para garantir o seu sucesso e o boca a boca espontâneo. Assim, começaram com uma estratégia bem direcionada de segmentação de mercado. Suas estratégias foram direcionadas a jovens de 15 a 30 anos, ligado a musica, com poder de compra para poder adquirir fones capazes de produzir a pureza das músicas produzidas no estúdio. Olhe que interessante, eles não segmentaram o mercado apenas por demografia, mas por fatores psicográficos (estilo de vida) e comportamental. Foram precisos para entender melhor o comportamento de seus consumidores – uma ótima lição de marketing viral - foco.
E por final, deve-se tirar o chapéu para a sua estratégia de comunicação, viral, é claro. Usaram a famosa mídia espontânea para a divulgação de seus produtos – o uso de grandes conectores. Os fundadores da empresa o rapper e produtor musical Dr. Dree e o seu sócio Jimmy Iovine aproveitaram a amizade com as estrelas do showbiz como Lady Gaga e Justin Bieber e os convenceu a experimentar o produto.  Devido a sua qualidade superior, os astros se apaixonaram e, em várias situações, eram flagrados usando os fones. O que aconteceu? Funcionou como um atestado de qualidade e multiplicou a imagem da empresa como um vírus, tornando-se acessório obrigatório em celebridades como  Nicole Kidman, Kate Holmes e até Neymar.
A última grande sacada  foi na final do Super Bowl deste ano. Enquanto grandes anunciantes chegam a pagar 3,5 milhões de dólares para anúncios de trinta segundos, os fones da marca Dr. Dree foram vistos por 110 milhões de pessoas gratuitamente. No intervalo, durante o show da Madona, a dupla de rappers LMFAO exibiu fones coberto de diamantes da marca Dr. Dre. Bela sacada.
Foi um modelo muito bom para ser replicado. Assim, ouse, seja criativo e viralize suas idéias...


Translate