domingo, 24 de fevereiro de 2013

A arte de contar histórias


Um dia desse um amigo pediu para que eu falasse um pouco a respeito da estratégia de comunicação denominada de Storytelling, portanto, vamos lá.
Esta estratégia de comunicação ou de marketing não é tão nova assim quanto parece. É usada há um bom tempo como uma forma de narrativa para contar uma história em torno de um produto ou uma empresa. Sua vantagem em termos de comunicação é prender a atenção do consumidor no momento de transmitir uma determinada mensagem, gerar uma identificação e criar vínculos emocionais. E se fizer sucesso, virar um ótimo viral que compartilhamos com a nossa rede de contatos.
Cabe destacar que o ato de contar histórias para transmitir uma ideia ocorre desde os primórdios da humanidade, isso porque temos a habilidade de entender melhor um determinado conceito quando existe um contexto que o permeia. Muitos conhecimentos foram passados de forma oral no decorrer de nossa história.
Assim, as empresa sabedoras de nossa habilidade procuram inserir suas marcas, ou explicar os seus diferenciais por meio de histórias que possam prender a atenção dos consumidores. Para  conseguir sucesso nesta estratégia algumas regas devem ser respeitadas: deve haver uma história extraordinária que vale a pena parar para ouvir; um personagem no qual as pessoas possam se identificar (e torcer de preferência); obstáculos que são superados pelo personagem principal; um conflito ou uma tensão; e uma sequencia lógica com início, meio e fim.
Veja como as marcas usam esta estratégia para criar vínculos com os consumidores. Vamos ver o caso da Apple. Temos uma história extraordinária no qual dois jovens universitários se reúnem em uma garagem para criar uma das maiores marcas da história das organizações; Steve Jobs foi um personagem na qual nos identificávamos, torcíamos pelo seu sucesso e esperávamos com entusiasmo suas lendárias apresentações; foram vários obstáculos  superados como, por exemplo, quando Jobs foi demitido da empresa que criou e retorna anos mais tarde para recuperar o seu posto; um conflito ou tensão com todos os desafios que a empresa, ou seu criador, passam para superar as dificuldades de sua empresa.
Temos outras empresas que usam esta estratégia para estabelecer um vínculo emocional com os consumidores como a Nextel com o depoimento de pessoas que mostram os motivos que levaram ao sucesso, alguns virais como Eduardo e Mônica da empresa Vivo, as propagandas cinematográficas da Johnnie Walker (veja que brilhante esta), entre outras.
Com estas histórias nos identificamos com a empresa e torcemos pelo seu sucesso, mas... cuidado com o excesso para não enfraquecer esta importante ferramenta mercadológica.

Este artigo é informação livre. Copie, distribua, envie por e-mail ou publique em seu site. Apenas informe a fonte: http://desmistificandoMarketing.blogspot.com                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                       

Translate