segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Desmistificando o Marketing de Guerrilha


Muito é falado à respeito das estratégias de Marketing de Guerrilha, ainda mais com a intensificação das mídias digitais. Mas, cabe ressaltar que estas estratégias, cada vez mais usual no mercado, não necessariamente são relacionadas às mídias digitais, que servem apenas para intensificar a comunicação, atingindo grupos específicos de consumidores com uma rapidez maior. Marketing de Guerrilha nada mais é do que estratégias mercadológicas de baixo custo e alto impacto. É o uso da criatividade, com foco em um segmento de mercado bem delimitado, para gerar uma maior notoriedade para um produto, marca, evento ou ideia.
Temos dois exemplos de mercado veiculado na imprensa, que ajudam a elucidar essa estratégia. Primeiro temos a ótica Diniz, que possuí um foco na região nordeste. Com baixos investimentos em marketing, mas com criatividade e foco em seu público alvo, consegue trazer um grande impacto para a sua marca e gerar uma maior notoriedade. De uma forma espartana, se comparado com as grandes marcas, inaugura as suas lojas (que crescem de forma exponencial) oferecendo cerveja, refrigerante e uísque nacional. Um trio elétrico faz parte do som ambiente e são doadas 1.000 armações em cada uma de suas lojas inauguradas.
Note que é uma estratégia que requer um baixo investimento, mas que gera um tremendo barulho em suas inaugurações. Com toda certeza, é um evento comentado (principalmente pelo público de baixa renda - seu foco) antes, durante e muito tempo depois. Se optassem por mídias tradicionais, o investimento seria maior, não teria o mesmo burburinho e os consumidores não viveriam a experiência proporcionada pelo evento.
Outra estratégia, muito bem formulada, foi na Copa Libertadores da América deste ano. Como o patrocínio dos times brasileiros é alto para a rede, eles resolveram investir no time Argentino Juniors na partida que enfrentaram o Fluminense. Conseguiram assim, estampar a sua marca em horário nobre nos grandes centros. Novamente uma ação de baixo custo, com alto impacto e direcionado ao seu segmento de mercado (jogos das equipes do Rio de janeiro são frequentemente transmitidos para o norte e nordeste do Brasil).
A Renner usou do mesmo preceito para o lançamento de sua marca Blue Steel. Contrataram uma agência de marketing para identificar jovens formadores de opinião, para que promovessem festas bancadas pela empresa. Nas festas, divulgadas pelo facebook, tanto os formadores de opinião como os integrantes da banda, usam produtos da marca.
Portanto, a relação de Marketing de Guerrilha com as mídias sociais não esta em termos conceituais, mas sim na ferramenta de comunicação. Marketing de Guerrilha são estratégias de baixo custo e alto impacto e, as mídias digitais são usadas para intensificar a comunicação destas estratégias.
Bom Marketing de Guerrilha para vocês...

Translate